Onde estamos: MISSÃO

Sobre o HNSD

HISTÓRIA DO HOSPITAL

E-mail Imprimir PDF

 

Bem-vindo ao Hospital de Nossa Senhora das Dores, uma empresa que tem como missão oferecer cuidados à saúde, com qualidade, tecnologia, humanização e valorização de seus colaboradores.Fundado em 1873, o HNSD busca a excelência nos cuidados à saúde com sustentabilidade econômica- financeira  para  ser reconhecido como o melhor hospital da macrorregião leste do sul, se posicionar entre os 3 melhores hospitais da Zona da Mata. Guiados por valores que compõem nossa tradição, alinhamos-nos aos princípios éticos na entrega profissional de cuidados à saúde. Somados ao intenso trabalho em equipe, para  oferecer  cuidados de forma humanizada, profissional e de qualidade sempre apoiados por uma forte espiritualidade, atendendo à sociedade de forma responsável e  preservando o meio ambiente.

História da Irmandade do Hospital de Nossa Senhora das Dores

O surgimento do Hospital  de Nossa Senhora das Dores/HNSD contou  com a prestimosa dedicação e empenho de muitos benfeitores da  comunidade e da região.  O fato do padre João Paulo Maria de Brito ter encontrado uma  senhora pobre já sem vida  na sarjeta, sensibilizou  sua alma  a  idealizar  um  lugar que acolhesse os doentes e lhes desse a chance de se curar e sobreviver.

Então, reunindo médicos, farmacêuticos, políticos, fazendeiros, populares e religiosos o padre João Maria junto com sua equipe elaborou o  projeto de criação de uma Irmandade e começou a construção do Hospital da Cidade, que tivesse como patrona Nossa Senhora das Dores.

Uma comissão  foi constituída para administrar a obra  tendo a frente  o Dr. Leonardo José Teixeira da Silva ( presidente) auxiliado pelo Frei Paulino Vicente  Fabbri,  que administrava a obra.

O sonho da Irmandade do Hospital de Nossa Senhora das Dores se tornou realidade no dia 12 de junho  de 1872, quando o Arcebispo de Mariana Antônio Viçoso  enviou a Carta de Provisão, instituindo e dando legitimidade ao projeto de filantropia.

Com quermesses, pedidos de ajuda, doações e auxílio de muitos voluntários, foram viabilizados com  sustentabilidade recursos e com dois anos de trabalho a idéia humanitária foi concebida. O Hospital de Nossa  Senhora das Dores estava pronto !  A sua inauguração aconteceu no dia   21 de setembro de 1873.

Desde a sua inauguração sem recursos para se manter, o Hospital de Nossa Senhora  das Dores, sempre contou com donativos da comunidade.   Também Sua Majestade o Imperador do Brasil Dom Pedro II,  em visita ao HNSD no dia  30 de junho de 1886  fez a doação de 400$.(Quatrocentos réis)

Hoje com mais de um século de vida o Hospital de Nossa Senhora das Dores/ HNSD oferece assistência a saúde à população da macrorregião com qualidade e humanização.  Possui um corpo clínico com 77 médicos e mais de 500  colaboradores celetistas e 08 profissionais terceirizados,  aplica recursos em   tecnologia e oferece os exames mais avançados,  com o diagnóstico preciso.

O Hospital de Nossa Senhora das Dores é referência em saúde  no atendimento materno Infantil, tratamento do câncer: quimioterapia e nefrologia.  A instituição é uma entidade sem fins lucartivos e aceita doações de pessoas físicas e jurídicas,  para que continue oferecendo cuidados à saúde. O segredo do sucesso do HNSD é  a união das pessoas  em prol da atenção à saúde de toda macrorregião.

 

 

 

 

 

2017

 

 

Instituto de Nefrologia

O projeto inicial  começou na administração do Provedor Dr. José André de

Almeida Júnior. Inaugurado em 12 de março de 1993 , sob os cuidados do Dr. Marco Túlio Kfuri Araújo. O primeiro serviço de nefrologia do HNSD funcionava  onde hoje  é atual UPA (Unidade de Procedimentos  Ambulatoriais). Devido ao aumento  do número de pacientes

renais foi necessário ao HNSD ampliar seu serviço. A construção da nova sede, onde atualmente funciona o Serviço de Nefrologia se deu no mandato do provedor Dr .Antônio Luiz Lanna.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Centro de Tratamento do Câncer do Hospital de Nossa Senhora das Dores/HNSD

 

 

Inaugurando no dia 06 de abril de 2000 no mandato do provedor Antônio Luiz Lanna e do administrador hospitalar Tarcísio Darell o serviço de tratamento do câncer teve com primeiro médico responsável  o médico  Marcelo Pimenta Fernandes Lima e oferecia o serviço de quimioterapia.  Em 2009  o HNSD obteve credenciamento para atender  pacientes do SUS. Em razão do crescimento e do atendimento, houve desejo de se ampliar o serviço para a radioterapia, tendo em vista a grande necessidade da região.

 

 

Com ajuda de muitos voluntários e parceiros o sonho se tornou realidade em 21 de setembro de 2013 tendo como administrador de Cristian Tassi e provedor Antônio Luiz Lanna. O novo CTC oferece também o serviço de Radioterapia.  Hoje com o  corpo clínico ampliando   para  05 médicos oncologista: 3 cirurgiões-oncológicos ,  3 oncologisitas , 1 médico –cirurgião de apoio e 1 clínico geral, atende aos pacientes de toda região que fazem tratamento de quimioterapia.

O Centro possui 1000m2 dedicados ao tratamento do câncer. 500 m2 para quimioterapia e 500m2 para a radioterapia.  Dados de Indicadores do HNSD   informam que os números de pacientes em tratamento de câncer estão aumentando consideravelmente. Neste contexto, hoje são feitas 50 cirurgias oncológicas e cerca de 300 pessoas fazem tratamento de quimioterapia. Em breve, serão atendidas em média 500 pessoas  a partir da ativação da radioterapia. O CTC é fruto da solidariedade e do amor daqueles que acreditam no HNSD. Tal avanço só foi possível com a ajuda de muitos doadores voluntários e com o apoio políticos em prol da região.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em 2017 , depois de ter seu projeto de ampliação aprovado o Hospital de Nossa Senhora das Dores ganhou uma doação para o seu serviço de oncologia.

“Nós agradecemos a Justiça Federal de Minas Gerais, que através do Ministério Público Federal destinou recursos arrecadados de multa trabalhista, de aproximadamente R$200.000,00 para a ampliação da Sala de aplicação de Quimioterápicos do Instituto de Oncologia Miguel Bartolomeu.” Ressalta o Provedor HNSD Dr. Francisco Rodrigues da Cunha Neto. Com a conclusão da Obra em 120 dias, O hospital poderá oferecer cuidados à saúde com mais conforto e qualidade ao paciente em tratamento do câncer. #euajudoohospital

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

Esta página tem a finalidade de levar ao conhecimento de nossa gente o que foi e o que é o Hospital Nossa Senhora das Dores de Ponte Nova.
De todos conhecida é aquela cena da mulher estendida, morta, no adro da igreja Matriz de São Sebastião, encontrada pelo Pe. João Paulo Maria de Brito ao descer a Rua do Rosário, hoje Cantídio Drumond, para a celebração da missa, naquela chuvosa manhã de 1871.

Outro intuito não alimentou o vigário senão o de construir uma casa, pequena que fosse, mas que pudesse servir de abrigo, amparo e assistência aos deserdados da sorte.
Surgida a idéia, o povo, na sua totalidade se movimentou no sentido de cooperar intensamente para a construção do que seria o primeiro Hospital de Ponte Nova.
Isto se concretizou no dia 21 de setembro de 1873, sob proteção de Nossa Senhora das Dores, cercada do carinho da população agradecida que, esplendorosa num só entusiasmo, ria e aplaudia. Era o hospital da nossa cidade.
Era a casa dos nossos doentes.
Era o lenitivo das nossas dores.
O Hospital de Nossa Senhora das Dores, completa, setembro próximo, 142 anos de existência.
Crescendo sempre, e sempre de braços abertos, continua prestando assistência apropriada, não apenas em termos de equipamentos atualizados, mas, principalmente, no que diz respeito ao ilustre corpo clínico que trabalha com seriedade, dedicação e competência.

Distribuídos em vários setores, enfermeiros e funcionários capazes, num total de 504, continuam ciosos de seus elevados deveres. Cumprindo seus objetivos, aprimorando seu atendimento, o Hospital de Nossa Senhora da Dores conta com o total reconhecimento da sociedade. Por isso é que ele, com esta idade, não apresenta sequer uma ruga e nem um fio de cabelo branco...

 

Na sua essência, traz o bafejo da eterna juventude, ornada de virtudes, o que faz com que ele prossiga distinguindo o mais do menos, a ordem da desordem, o amor do desamor.
Desde a sua inauguração - 21 de setembro de 1873 - sem recursos para se manter, o Hospital de Nossa Senhora das Dores, durante muitos anos, recebia donativos.   
As fazendas vizinhas ofereciam arroz, fubá, feijão, açúcar. O padreGerônimo Migliarini, que colaborava generosamente nas atividades do Hospital, por feliz inspiração, instituiu, em 1904 a Romaria 13 de maio que, desde aquele ano até hoje continua sendo o Dia do Hospital.
Nesse dia, essa Casa dos Enfermos - Salus Infirmorum - recebia o povo e notadamente, os alunos dos Grupos escolares que, num gesto edificante, traziam meio quilo de arroz, de açúcar, de feijão, um pacote de maizena, uma vela, uma caixa de fósforos, enfim o que cada um podia, a fim de prover o Hospital que a todos servia sem fins lucrativos. Assim, durante muitos anos.

Há 145 anos, anualmente, o 13 de maio era comemorado, com o seguinte programa:
À noite, a procissão de Nossa Senhora das Dores, da matriz de São Sebastião ao Hospital.
O andor, brilhante, florido, é transportado pelo povo, com a centenária iimagem.
A caminhada é lenta e piedosa; os movimentos que a procissão executa tem suave ondulação, dando a idéia de que as pessoas, num arroubo de ternura, desejassem que, em lugar do andor, ali estivesse um berço, e nele a imagem de Nossa Senhora recém-nascida. Hoje o transporte é feito através de um carrinho enfeitado, todavia com a mesma piedade.   
As chamas das velas, que iluminam a marcha, atestam o calor e o brilho do entusiasmo e da devoção. Chegando ao Hospital, a palavra de uma pessoa escolhida para saudar Nossa Senhora. A seguir, Bênção do Santíssimo e a coroação da Imagem por crianças vestidas de anjo, plenas de emoção infantil.
Chuvas de pétalas vivas, aplausos e música encerram a cerimônia.
Depois, retornam todos aos seus lares, algo de encantamento nos olhos muito de doçura no coração.

Hospital de Nossa Senhora das Dores